.
SINDICAM-SP


SAAC


Rodão


.

Giro seta

.
.
Dia Nacional do Caminhoneiro
 
Tamanho
da letra
 

Multas por mau estado de conservação dos veículos crescem 129% em BH

 
21/02/2018
 
Infração grave capaz de provocar acidentes e colocar em risco a vida das pessoas, o mau estado de conservação dos veículos tem sido flagrado constantemente em Belo Horizonte. As multas mais que dobraram na capital. No ano passado, 2.437 motoristas cometeram a irregularidade, contra 1.062 em 2016, um salto de 129%. Os dados são do Departamento de Trânsito de Minas Gerais (Detran-MG). Reforço da fiscalização e crise econômica podem ter motivado o crescimento das ocorrências, segundo a polícia e especialistas. Os itens que caracterizam a infração são indispensáveis para garantir a segurança do automóvel. As principais falhas são pneus carecas e faróis ou lanternas danificados. As penalidades são multa de R$ 195,23 e cinco pontos na carteira de habilitação. Em casos mais graves, o carro é rebocado. Segundo a polícia, alguns condutores deixam de lado a manutenção preventiva e rodam com os veículos em condições inadequadas sem avaliar os impactos da decisão. “Os motoristas precisam se atentar a essa economia que não é em nada inteligente. Pode parecer bobagem, mas é a garantia de ir e vir de forma segura”, afirma o assessor de comunicação e tenente do Batalhão de Trânsito de BH, Marco Antônio Said. Operações Nessa segunda-feira (19), em mais uma operação de fiscalização no Anel Rodoviário, a Polícia Militar Rodoviária (PMRv) constatou as más condições dos veículos de carga que circulam pela via. Durante a blitz, no Olhos d’Água, no Barreiro, 66 caminhões foram parados. Desses, 54 apresentavam irregularidades. “O principal objetivo é conscientizar, mas não é possível deixar um veículo em mau estado de conservação e com diversos itens danificados rodando. Os motoristas precisam ter consciência que além de colocar a própria vida em risco, eles podem afetar outras pessoas”, explica o comandante do policiamento do Anel Rodoviário, tenente Pedro Henrique Barreiros. Na lista de irregularidades estavam pneus carecas, luzes e freios estragados, parafusos das rodas frouxos, faixas refletivas deterioradas e até cano de descarga pendurado. Uma das carretas ainda tinha um eixo danificado e o motorista improvisou, amarrando uma correia de pano para continuar dirigindo. O homem alegou necessidade de trabalhar e falta de tempo e dinheiro. “Eu sabia, mas preciso rodar”. Ele foi multado e o veículo removido. Tráfego e poluição Além da segurança, o tráfego pode ser prejudicado devido ao mau de estado de conservação dos automóveis, conforme relembra o especialista de trânsito, Silvestre de Andrade Filho. “Um veículo que quase não recebe manutenções quebra com mais frequência. Esse mesmo carro bloqueia uma faixa do trânsito que, em horários de pico e em vias de alto fluxo, gera congestionamentos”, aponta Silvestre, que ainda lembrou que o meio ambiente também sofre com o excesso de poluição.
 
Fonte: www.hojeemdia.com.br
 
Voltar
 
Compartilhar no Orkut Compartilhar no Facebook
 

cadastre-se

.
Digite seu e-mail aqui:
 

publicidade

.
IV SEMINÁRIO NACIONAL DE SINDICATOS DE CAMINHONEIROS AUTÔNOMOS
 
 
. .
Desenvolvido por:
F2 Webdesigner
Palavra do Presidente | Diretoria | História do Sindicam | Notícias | Sub-sedes | Jurídico | Eventos
Benefícios | Convênios | Links | Contato | Localização | Sindicams | Jornal do Sindicam